Scientists and researchers have to eat too! So now, there is a fabulous new restaurant at the Champalimaud Center for the Unknown in Lisbon to sate their appetites. Darwin’s Café, named for the famed researcher responsible for the theory of natural selection, is a great new spot to grab a bite in between data gathering and hypotheses testing.

Yet, you don’t have to be a PhD to get through the door. The accessible location near Belem makes for a trendy dining spot to stop for lunch, light afternoon dishes, or dinner and cocktails.

darwin cafe fundacao champalimaud lisboa

Darwin’s Café is a partnership between Portugal design house Lanidor, and the Champalimaud Foundation, sponsors of the research facility. This recently completed center of contemporary design sits facing the Tagus River. The facility’s unique design is by Indian architect Charles Correa. The Champalimaud Foundation intends to stimulate biomedical research primarily in the fields of neuroscience and cancer. In addition to research facilities, the complex also features an auditorium, outdoor amphitheater, and now, Darwin’s Café.

champalimaud center for the unknown lisbon lisboa

Heading up the kitchen is Chef Antonio Runa from Lanidor’s popular in-store Caffé Avenida. For the opening, Runa has borrowed many of the most popular dishes from the Caffé. Dishes are simple, based on traditional Portuguese concepts, but with a slight innovative twist. As the excitement of the opening passes, Runa plans to design signature dishes for Darwin’s Café that will set this eatery apart from others in the city.

————————————————–


————————————————–

For now, stop by for soups, salads, quiches and light meat dishes for lunch. If you work through the lunch hour, Darwin offers burgers, sandwiches and pastries throughout the afternoon and early evening. For dinner, expect a variety of risottos, beef and pork loins, and fish. Try the bacalhau with olive crust!

darwins cafe lisbon contemporary restaurant design

If Darwin himself came in for dinner, he would feel right at home. The ambiance is a fusion of old world science library with 21st century architecture. Huge floor to ceiling windows fill the room with sunlight. Book motifs decorate the walls, and illustrations of various species pop up as accents. A large terrace will open soon, offering alfresco dining with great views of the undulating curves of the building and Tagus River.

For more information, visit Darwin’s Café website.

Darwin’s Café
Champalimaud Foundation Center for the Unknown
Avenida de Brasília
B Wing (Boksburg)
1400-038 Lisbon

Phone: +351 932 032 579

Hours:
Lunch – Everyday 12:00 to 15:30
Snacks – Wednesday through Sunday – 16:00 to 18:30
Dinner – Wednesday through Sunday – 19:30 to 23:00

One Response

  1. Antonio Antunes

    “A primeira vez que lá fui ao Darwin´s foi no passado Sábado dia 19 de Março, mais a minha cara-metade, e tudo correu às mil maravilhas, não vos informo o que comi pois não é isso que está em causa.
    Acontece que passados 3 dias, ou seja terça-feira dia 22, juntamente aqui com 3 colegas do trabalho fomos lá á confiança, devido á minha boa experiencia uns dias antes, e agora começa a festa, cada um pediu um prato diferente (não interessa nada para o caso) e um dos nossos colegas pediu um folhado acompanhado, numa tigela á parte, de uma salada, volto a frisar, numa tigela á parte, e já percebem porquê.
    Vieram todos os pratos, tudo bonito, ou melhor quase tudo bonito, só um pequeno pormenor é que estragava a coisa, passo a explicar, o folhado vinha com uma apresentação muito simples, para além da salada á parte, era um prato só com o folhado no centro mais uns quantos rabiscos feitos no prato com algum tipo de molho (mas cada rabisco deve acrescentar á conta mais 1 ou 2€), por cima do dito folhado vinha uma pequena planta comestível com especto que tinha vindo diretamente do período jurássico de tão murcha que estava, melhor ainda era o que vinha com a plantinha, 3 pequenos bichos pretos do tamanho de cabeças de alfinete a vaguear na sua labuta diária por cima da plantinha (sim, estavam vivos!).
    Como é logico chamámos a empregada e mostrámos o que se estava a passar, a empregada levou o prato, mas nem um pedido de desculpa, tão depressa foi, como voltou, pelo meio informou um dos colegas do que se tinha passado, ao voltar tão depressa e sem a dita plantinha todos soltámos um pequeno sorriso, como que, “foi só tirar a plantinha”, mas a empregada afirmou que não, que era outro (o primeiro demorou alguns 20m este alguns 20s), mas mesmo assim nem um “peço imensa desculpa” ou melhor bastava só “um peço desculpa” pois três bicharocos vivos a vaguear na nossa comida não é nada demais, no fundo até se calhar devíamos pagar os bichinhos como extra pois até estão dentro do tema do restaurante, mas nada, assim esperámos até ao fim da refeição por alguma atitude digna de um qualquer restaurante digno desse nome.
    Mas nada, nem a empregada nem o outro empregado que tinha sido informado soltaram qualquer tipo de pedido de desculpa, assim decidimos chamar o gerente, o melhor que se pôde arranjar foi a chefe de sala (pelo menos foi o como se auto intitulou), explicámos a situação, tal como aqui descrevo, no prato da nossa colega vinha o folhado com a respetiva planta por cima, e dentro dessa planta vinha 3 bichinhos a “passear”, nem referimos a salada, ela pediu desculpa pelo sucedido (até que enfim) e que iria averiguar o que se passou, e aí foi ela, passado algum tempo lá apareceu e deu esta curiosa explicação, num tom como que “não foi nada de especial”, ou seja afinal não eram 3 bichinhos era só 1 (os outros 2 puseram se na alheta antes de chegar á cozinha pois já sabem com o que podem contar, deve ser uma selva) e era pequenino, e mais, o bichinho devia vir da salada, sim aquela que vinha numa tigela á parte, só faltava justificar a façanha (de saltar a caminho da mesa para o folhado e pelo meio telefonar a mais 2 para aparecerem) com o facto da bicharada antes de chegar á cozinha passa uma semana a visionar intensivamente os episódios do Macgyver alternados com o dos Heróis de Shaolim, mas já agora, se vier na salada já é menos grave?! A esta altura o colega do folhado já ficava preocupado com o facto de ter comido a salada! 
    Por fim ao pagar a conta (70€, 4 pessoas sem vinho e sobremesas) um colega ainda tentou explicar, (tentar é a melhor descrição, combinado com perda de tempo) á tal chefe de sala, que são situações que não podem acontecer que nos dias que correm estas situações podem ir parar às redes sociais etc..etc…mas nada, a senhora limitava se a olhar para o horizonte sem nada responder, assim sendo e como fomos ignorados por esta senhora, aqui estou eu a vos informar, do mau atendimento a que fomos sujeitos, num restaurante novo e com potencial para ser bom e agradável, mas não com este atendimento.
    Eu não lá ponho mais os pés nos tempos mais próximos e aconselho-vos a fazer o mesmo, a não ser que expliquem aos vossos convidados qual é o tema do restaurante para não terem surpresas deste género, que até nem foi o mais grave, grave sim é o atendimento.

Leave a Reply